MEU CBDA WEB
Usuário ou senha inválidos
Não foi econtrado usuário

Após medalhas em Chuan’an, Brasil se prepara para última etapa da Copa do Mundo de maratonas aquáticas

Maratonas Aquáticas 19/10/2017 14:12:53

(Rio de Janeiro, 19 de outubro de 2017) Depois de conquistar quatro medalhas em Chun’an, na China, a equipe brasileira de maratonas aquáticas disputa, neste sábado (21), a última e decisiva etapa do Circuito Mundial da modalidade. Ana Marcela Cunha, Viviane Jungblut, Allan do Carmo, Fernando Ponte e Diogo Vilarinho defendem as cores do Brasil em busca de mais medalhas e tentando terminar o ano em boas colocações no ranking mundial.

Campeã em Chun’an, onde conquistou seu 18º título da carreira no Circuito Mundial, Ana Marcela está em segundo lugar no ranking atrás da italiana Arianna Bridi. Rachelle Bruni está em terceiro. A nadadora da Unisanta, porém, tentará mais uma medalha de ouro para, quem sabe, conseguir terminar o ano em primeiro lugar da Copa do Mundo.

“Venho para Hong Kong em segundo, precisando vencer para manter essa colocação. O primeiro lugar é um pouco mais difícil, precisaria de uma combinação de resultados, mas acredito sempre. Acabo de voltar de uma etapa em que fui bem e estou muito feliz. Estou na briga e vou até o fim”, disse.

Assim como Ana Marcela, Allan do Carmo disputa as primeiras colocações no ranking mundial. Depois da medalha de prata em Chuan’an, o baiano se diz confiante para fazer outra boa prova e garantir um lugar entre os principais atletas do mundo na temporada 2017 da Copa do Mundo da Fina.

“Conquistei um bom resultado na China e isso aumenta a confiança para essa prova em Hong Kong. É uma prova diferente, aumentou o nível e quantidade de atletas. Isso vai deixar a prova mais forte. Sei que estou em uma boa fase, confiante e estou em terceiro lugar no ranking. Vai ser uma prova decisiva e sei que tenho que ter um bom resultado para manter essa boa colocação”, falou.

Quem também teve um ótimo desempenho na China e chega a Hong Kong com esperança de novas medalhas são os gaúchos Viviane Jungblut e Fernando Ponte. Os atletas do Grêmio Náutico União conquistaram o bronze em Chuan’an e esperam que, nesta última etapa, concretizem o melhor ano de suas carreiras.

“Minha expectativa é fazer uma boa prova, assim como na China. Acredito que será uma competição um pouco mais disputada, pois o número de atletas será maior. Quero acertar algumas coisas que errei na prova anterior para obter uma boa colocação e, assim, terminar 2017 bem colocada no ranking mundial”, contou Viviane.

“Vai ser uma disputa forte, os melhores atletas vão estar aqui. A expectativa é fazer uma boa prova e estar entre os primeiros. Meu Mundial foi bom e a Copa do Mundo também está sendo. Quero, cada vez mais, obter melhores resultados. É importante fazer uma prova boa para começar 2018 confiante e pensando sempre competição por competição”, relatou Ponte.

Depois de ficar a menos de um minuto do pódio em Chuan’an, Diogo Vilarinho espera melhorar seu tempo em Hong Kong. O atleta do Minas Tênis Clube valorizou seu desempenho na China, mas acredita que precisa melhorar em alguns pontos para conseguir melhores colocações na última etapa da Copa do Mundo.

“A expectativa é fazer uma prova melhor. Na China me senti bem, mas no fim acabei tomando decisões ruins e não consegui me manter no pelotão da frente. Foi uma prova muito apertada entre os 20 primeiros, então qualquer erro pode custar muita coisa. Espero fazer uma prova bem bacana para ter uma pontuação legal no fim do circuito”, concluiu.

A equipe brasileira foi para as etapas da Ásia com recursos da Lei Piva. O time é formado, além dos atletas, pelos treinadores Rogério Arapiraca, Fernando Possenti e Kiko Klasler. A Seleção comandado pelo supervisor Ricardo Ratto.

Boletins